Conte mais sobre o seu projeto ou ideia.

  • Monique Evelle

    Organizador
    24/04/2021 às 09:22
    • Luciana Loureiro

      Membro
      23/11/2021 às 13:00

      Sou professora da educação básica há cerca de 13 anos. Nesse percurso, há várias práticas que sempre me incomodaram. O conhecimento é sempre transmitido de forma horizontal – do professor para o aluno -, as turmas são divididas por idade e o instrumento avaliativo é quase sempre uma prova. Grande parte da metodologia é baseada em memorização e repetição.

      Esse modelo educacional vem sendo praticado no Brasil, sem grandes resultados. Os alunos pouco aprendem e muitos abandonam a escola.

      Nos últimos dois anos, vimos várias aplicações da tecnologia na educação e creio que as redes podem auxiliar a aprendizagem, no sentido de personalizar os percursos de aprendizagem. Temos uma legislação que caminha para isso.

      Meu projeto consiste na elaboração de produtos educacionais digitais que auxiliem processos de aprendizagem. Penso na criação de jogos e aplicativos que motivem os alunos e auxiliem o trabalho de professores e estimulem os alunos a desenvolverem projetos pessoais e coletivos.

  • Elton De Castro

    Membro
    24/04/2021 às 10:43

    Então, meu projeto tem como base criar oportunidade de desenvolvimento profissional e educacional para a comunidade periférica. Negros, LGBTQIA+ e mulheres.

    Como a gente está começando, não tem muita experiência em capitação de recursos, decidimos iniciar com vedas de produtos, para que eles possam rentabilizar as ações. Por isso, 20% do lucro serão destinados à realização de cursos. Inicialmente, na cadeia produtiva da moda: corte e costura, modelagem, serigrafia… também teremos curso de economia criativa. Para nosso público, esses cursos serão ofertados no 0800.

    Paralelo a isso, vamos ofertar projetos para que empresas entrem como parceiras/patrocinadoras. Nesse caso, o foco pode ser para além da moda. Educação e desenvolvimento pessoal são os focos.


    Estágio 2 da empresa, que deve iniciar perto do final do ano.


    Nós começaremos a concorrer a editais de realização de eventos/docs. Cada edital que a gente conseguir aprovar, usaremos a realização do projeto como uma espécie de incubadora. Explicando: digamos que a gente aprove um doc. Selecionaremos câmera, editor (a) um produtor (a).. aprendiz que irão se juntar à equipe que irá realizar mesmo.


    No estágio três, que espero colocar no ar até o final do ano que vem, a ideia é lançar um podcast e um site, com notícias sobre a periferia, feito por jovens periféricos, que queiram se desenvolver em criação de conteúdo, jornalismo, produção…


    Realização de eventos é outro braço, mas isso independe de estágio da marca. Começamos microscópicos, mas a ideia é ir crescendo. Faz um estágio, sente o mercado, se prepara, cresce um pouco.


    O que mais sinto falta é rede de contatos, diálogo com empresas e afins. Creio que posso ajudar em consultoria de comunicação, busca por soluções de problemas, ideação… quem precisar, só trocar uma ideia.

    • Aline Cerqueira

      Membro
      30/09/2021 às 17:32

      Em qual cidade/ estado teu projeto nasce, Elton?🌷🌈

    • Maria Alice

      Membro
      24/11/2021 às 21:34

      Esse projeto será lindo demais!!!

  • Bartira Silva

    Membro
    24/04/2021 às 14:19

    Meu projeto é uma extensão do trabalho que já executo. Trabalho com produção Cultural com foco em cultura preta há 5 anos. A partir disso já foram realizados eventos, palestras, rodas de conversa, cine debates, block parties e em 2019 fomos aprovados no Edital Natura Musical para a realização de um projeto que lançou produtos culturais, EPs e documentário, devido a pandemia, os eventos não aconteceram presencialmente e realizaremos uma live. Readequamos o projeto e incluímos a criação de um site onde disponibilizaremos todo o material lançado para download.

    Com a realização deste projeto, por ser no RS, um estado em que pretos são minorias, nós sentimos uma grande dificuldade de encontrar profissionais pretos de áreas que exigem recursos financeiros pra compra de equipamentos, como estúdios fonográficos, audiovisual, produção musical e tudo mais. Com isso surgiu a ideia de mapear profissionais pretos no estado para a criação de um catálogo.

    Etapa 1: Fomos aprovados em um edital para microprojetos e estamos realizando esse mapeamento com profissionais pretos de todas as áreas pra depois passar uma peneira.

    Etapa 2: Queremos oferecer mentorias para acelerar esses negócios e ajudar a direciona-los para o mercado. Através de frentes que farão trabalhos estratégicos junto a empresas, estimulando a contratação de profissionais pretos.

    Etapa 3: além desse mapeamento, pretendemos criar um marketplace, onde os empreendedores possam vender seus produtos de forma online através do nosso site. Que poderá vir a se tornar um app com vendas de serviços.

  • Bartira Silva

    Membro
    24/04/2021 às 14:29

    O que nós mais precisamos no momento é reposicionar a Stay black no mercado, para além dessa organização Cultural, mas como algo mais abrangente, de forma que consigamos separar os pilares em que atuamos: selo musical, produção Cultural e essa startup voltada para o black money.

    E também investimentos para conseguir contratar profissionais para trabalharem nesse planejamento estratégico.

  • Joice Vasconcelos

    Membro
    25/04/2021 às 19:48

    Minha proposta é criar um clube de assinatura acadêmica destinado a veicular conteúdos específicos e estratégicos para ajudar estudantes de graduação do Norte e Nordeste a se desenvolver no mundo acadêmico e conquistar oportunidades desse universo e do campo profissional.

    Em suma, a proposta do “Se Oriente” (nome carinhoso do projeto) é fazer o que a univerdade não faz, nos possibilitar uma orientação voltada para o nosso desenvolvimento acadêmico e profissional. Muitos estudantes, por exemplo, não conseguem ter acesso a certas oportunidades da univerdade por falta de uma orientação que nos ensine os caminhos. Em outros casos, muitos estudantes não participam de projetos porque nem sabem da importância de participar e nem como conseguir uma bolsa, pois não nos orientam e quando chega no final do curso, vários alunos querem pleitear uma vaga no mestrado e não conseguiram publicar muito menos participaram de um projeto de pesquisa. Sem contar os outros alunos que desejam conseguir vaga de estágio no mercado de trabalho, mas não conseguem porque a univerdade não nos prepara para isso.

    Pensando nisso, o Se Oriente deve brotar para resolver essa questão que muito me incomoda, porque eu já estive nessa situação e só consegui identificar as oportunidades da universidade porque um professor de um projeto de extensão que participei, me deu muitas orientações, me mostrou os caminhos e me ajudou, isso fez diferença na minha vida e me ajudou a alcançar várias outras oportunidades depois disso.

    Eu acredito no potencial dos alunos, eles só precisam das pessoas certas, que saibam dizer as palavras certas e no momento certo.

    Uma pesquisa foi feita em fevereiro desse ano com cerca de 150 acadêmicos de graduação de universidades do Norte e Nordeste para saber mais sobre o perfil desses estudantes, algumas das suas principais dificuldades e a aceitação da proposta. O resultado foi positivo e muita das hipóteses estabelecidas foram comprovadas mas ainda não é suficiente. Os próximos passos é prototipar a ideia com produção de conteúdo e se aproximar desses alunos através do Instagram e/ou telegram.

    No momento estou sozinha nessa missão pois meus parceiros tiveram que sair do projeto, mas já estou em busca de pessoas aqui mesmo da comunidade que podem muito agregar nessa missão.

    Esse mês eu não consegui dar andamento nos processos porque tive que me dedicar as disciplinas que faltavam para terminar meu curso. Mas como o semestre já está chegando ao fim, os trabalhos vão retomar novamente e dessa vez vai 🙌🏾🍀💚

    Repensei bastante algumas coisas referente ao negócio de recorrência, talvez o Se Oriente não inicie como um negócio de recorrência, preciso fazer uns testes antes, mas quando for o momento comece a operar com recorrência.

    • Juliana Krieger de Oliveira

      Membro
      10/09/2021 às 16:41

      Sensacional Joice!

      Tive um longo caminho na acadêmia e sempre senti falta de algo assim. Ainda mais porque ainda temos um modelo de educação (e muitos educadores também) antiquado. Nos últimos anos, quando estava no doutorado, conversávamos muito sobre como essa geração precisa ser estimulada, e de maneira “simples”. Conseguíamos fazer algum movimento, mas algo pontual, geralmente em eventos.

      Algo assim seria fantástico.

    • Aline Cerqueira

      Membro
      29/09/2021 às 07:04

      Nossa, que tudo! Curiosa para saber como está o Se Oriente. Algo tão necessário este apoio na graduação, vi muita gente precisando mesmo, até mesmo pela questão da saúde mental enquanto estudante, vejo tantos atravessamentos neste processo e um projeto assim tem muito o que fazer. 🌷🌈

  • Irwin Gomes

    Membro
    26/04/2021 às 09:04

    Olá pessoal! Sou cofundador na FazerOrçamento.com, uma startup que promove a boa gestão para profissionais autônomos brasileiros. 👷🏾‍♂️👷🏾‍♀️ Através do app é possível calcular preço do serviço, fazer orçamentos com logotipo, recibos profissionais, assinatura digital, receber aprovação do cliente digitalmente, cartão de vistas e mais.

    Vocês podem conferir mais detalhes no site ou na Google Play (https://bit.ly/2Y6LA5J)

    Sobre o que podemos oferecer:
    – Aumento do período de teste grátis de 14 para 30 dias para a comunidade e para as pessoas que vocês conheçam e que precise dessa solução. É só mandar uma mensagem no privado dizendo o email da pessoa.

    Sobre nossos desafios:

    – Estamos no momento de tração (trazer e reter mais usuários). Hoje nossa base de usuários vem organicamente. Por isso os desafios estão em captar usuários com tráfego pago, aprimorar SEO e aprimorar a experiência do usuário (UX).

    – Buscamos parcerias estratégicas com empresas que agreguem na jornada desses profissionais autônomos. Em especial, pensando nos profissionais de reparos e reformas, buscamos parcerias com empresas varejistas.

    • Deane de Jesus

      Membro
      10/05/2021 às 23:59

      Muito legal! Não conhecia o app. Qual o site de vocês? Acredito que possa ser útil no meu negócio

    • Silas Ribeiro

      Membro
      14/05/2021 às 21:43

      Muito boa a solução!!! Parabéns, irmão!!!

    • Paloma Zahir

      Membro
      06/07/2021 às 16:28

      Que incrível! Parabéns! É o que eu estava buscando.✊🏿✨

    • Caio Assunção

      Membro
      24/11/2021 às 09:38

      Irwin, tudo bem?

      Parabéns pela sua iniciativa!

      Conheço algumas empresas que são similares ao que você pretende oferecer e que podem servir de inspiração: a oHub (https://www.ohub.com.br/) e a Habitíssimo (https://www.habitissimo.com.br/). Imagino que você deve conhecê-las também.

      Eu trabalho com SEO e já tive a oportunidade de atender clientes do segmento de divulgação de serviços. Se você precisar de dicas, conte comigo. Abraço!

    • Amanda Leite

      Membro
      24/11/2021 às 14:57

      Já baixei para conferir. Massa demais essa ideia

  • Ariana Coimbra

    Membro
    26/04/2021 às 21:28

    O meu produto/projeto é fazer um documentário ou escrever um livro-reportagem sobre a saúde mental dos profissionais que estão na linha de frente do covid-19. De funcionários de limpeza de hospitais a médicos. Todos estamos vendo a sociedade definhando devido a pandemia e isolamento social. Casos de transtornos mentais aumentando, suicídios também. E penso que ninguém está pensando no cansaço mental dos profissionais, pensam e falam só do cansaço físico. O que me ajudaria na pré-produção que é a pesquisa porque nenhum projeto vai pra frente sem estudo seria artigos científicos que abordam o tema. Na produção, opiniões críticas, na conclusão precisaria de diagramação, design, etc.

    • Aline Cerqueira

      Membro
      30/09/2021 às 22:59

      Que interessante Ariana! Vou querer assistir!

  • Luciana Lapér

    Membro
    28/04/2021 às 19:43

    O meu projeto é um espaço chamado Casa de Performanc_e. A o desejo da casa surge de algumas vulnerabilidades que permeiam identidades LGBTQIA+ – como desamparo familiar e necessidade de rede de apoio – e que se agravaram na pandemia.

    A Casa de Performanc_e é um espaço para pessoas que não se identificam com práticas relacionais enrijecidas e que procuram construir novas formas de amar, criar, trabalhar, transferir conhecimento, brincar, enfim…formas de viver que estejam abertas à diversas subjetividades e suas construções.

    Atualmente, a proposta da Casa de Performance é fortalecer a comunidade DesvIAd_A a partir de criação de vínculos, trocas de experiências, geração de renda e formação para o trabalho.

    Para isso, existem agora dois pontos principais em que estou focando:

    1- pesquisa. É complexo desenvolver ações pra uma comunidade que não tem dados de sua realidade coletiva. Inicialmente estou elaborando uma pesquisa para Belo Horizonte.

    2- Com base em algumas trocas profissionais artísticas, com as informações sobre inovação e empreendedorismo aqui da inventivos eu elaborei o LaCrE.

    LaCrE – Laboratório Criativo Experiencial.

    O LaCrE é uma plataforma de criação, inovação e formação para artistas LGBTQIA+ que é inspirada nas MESA, pelas aulas da Ana Kuroki aqui na inventivos.

    Estou montando o site que sai em breve. Meu objetivo é expor essas ideias e tentar realiza -las com parcerias e/ou patrocínios e também pelos editais.

    🙂

    • Marjorie Yamaguti

      Membro
      10/09/2021 às 14:44

      Que demais, Luciana! 😀

      Existe algum local base o LaCrE?

  • Luciana Lapér

    Membro
    28/04/2021 às 19:45

    O meu projeto é um espaço chamado Casa de Performanc_e. A o desejo da casa surge de algumas vulnerabilidades que permeiam identidades LGBTQIA+ – como desamparo familiar e necessidade de rede de apoio – e que se agravaram na pandemia.

    A Casa de Performanc_e é um espaço para pessoas que não se identificam com práticas relacionais enrijecidas e que procuram construir novas formas de amar, criar, trabalhar, transferir conhecimento, brincar, enfim…formas de viver que estejam abertas à diversas subjetividades e suas construções.

    Atualmente, a proposta da Casa de Performance é fortalecer a comunidade DesvIAd_A a partir de criação de vínculos, trocas de experiências, geração de renda e formação para o trabalho.

    Para isso, existem agora dois pontos principais em que estou focando:

    1- pesquisa. É complexo desenvolver ações pra uma comunidade que não tem dados de sua realidade coletiva. Inicialmente estou elaborando uma pesquisa para Belo Horizonte.

    2- Com base em algumas trocas profissionais artísticas, com as informações sobre inovação e empreendedorismo aqui da inventivos eu elaborei o LaCrE.

    LaCrE – Laboratório Criativo Experiencial.

    O LaCrE é uma plataforma de criação, inovação e formação para artistas LGBTQIA+ que é inspirada nas MESA, pelas aulas da Ana Kuroki aqui na inventivos.

    Estou montando o site que sai em breve. Meu objetivo é expor essas ideias e tentar realiza -las com parcerias e/ou patrocínios e também pelos editais.

    🙂

    • Aline Cerqueira

      Membro
      24/09/2021 às 19:40

      Em qual cidade/estado ficará esta casa Luciana?

  • Silas Ribeiro

    Membro
    28/04/2021 às 20:06

    Fala comunidade!!!

    O projeto que estou tocando junto a dois amigos é o List.

    O List é um aplicativo de busca de preços em supermercados locais. Com ele nossos usuários podem:

    Fazer buscas simples para encontrar produtos específicos

    Criar listas de produtos definindo quantidade

    Ter controle de suas notas fiscais, permitindo o conhecimento do que foi comprado ao longo do tempo

    Fazer buscas de todos os itens de uma lista

    Receber alertas de preços baixos para um produto específicos

    Um grande diferencial do List em relação aos apps concorrentes é que nossa base de dados é composta por ofertas de diferentes fontes. Temos uma rede de colaboração onde os usuários podem enviar os dados da sua nota fiscal permitindo a atualização dos preços em tempo real. Também temos uma rede de bots que buscam ofertas pela internet, obtendo preços de diferentes fontes. Agora estamos trabalhando em uma rede colaborativa de mercados.

    O que mais precisamos de ajuda é na parte de marketing, toda a equipe é formada por engenheiros e estamos tomando muito surra ainda nesta parte. Queremos aprender como fazer campanhas efetivas e melhores canais de comunicação.

    Segue o Link do nosso Instagram: https://www.instagram.com/applistbrasil/

    • Isadora Oliveira

      Membro
      02/07/2021 às 05:54

      Achei genial!!

    • Carolina Pery

      Membro
      08/09/2021 às 08:18

      Amei! Há tempos penso: “pq ninguém fez isso ainda?” hahahahah

    • Caio Assunção

      Membro
      24/11/2021 às 09:45

      Eu gosto muito dessa ideia! Há um tempo, eu tinha pensado em algo similar, mas encontrei dificuldades no momento de conseguir alimentar a base de dados. Entrei em contato com redes de supermercado, mas elas não enviam a lista dos preços diariamente para as pessoas, apesar delas terem isso facilmente registrado. Não sei se faz parte da estratégia deles segurar essas informações, mas achei genial a solução de criar uma comunidade para compartilhar preços. Parabéns!

  • Isis Carreiro

    Membro
    28/04/2021 às 21:34

    OLá sou nova aqui, e nova em colocar projetos em execução.

    Bem, meu projeto trata-se de vender plantas online e fazer entrega á domicilio aqui mesmo na região do litoral norte da Bahia. São mais de 50 tipos. Meu primeiro pensamento foi ser feito a venda via instagram e Facebook. Porém me deparo com a dificuldade de abrir essa lojinha sem um dominio.

    Alguém aqui teve esse problema?

    O que vocês me aconselhariam, seguir pra realizar o site e depois pensar na lojinha do facebook e Instagram, ou fazer um dominio puro e ter todo o trabalho na lojinha do FB e insta, será que eles aceitariam?

    Meu projeto está em fase de teste, então não posso gastar muito.

    Desde já, obrigada.

    • Rose Afefé

      Membro
      13/07/2021 às 21:26

      Oi Isis, tudo bem? Você avançou com o projeto?

      Tenho dois amigos em SP que tinham uma loja de plantas. Deu muito certo, abriram franquia e tudo…

      Acompanhei de perto e deu pra perceber que o público amava ir ao local comprar plantinhas, eles até encrementaram com um café.

      Se você tem um espaço, uma espécie de estufa/ viveiro/ etc. Pode ser interessante abrir para o púbico e também oferecer vendas online. Se for só vendas online, um Instagram com fotos bonitas e acessórios pode ajudar no negócio. Acho que você pode oferecer dicas também de plantio e tal.. espaços decorados com plantas. Tou fluindo aqui hehehe espero que ajude.

      Abraço

      • Isis Carreiro

        Membro
        14/07/2021 às 10:58

        Oi Rose.

        Estou caminhando. Mas tenho percebido isso mesmo.

        As pessoas gostam de sentir o lugar. Ainda estou sem local, mas em busca.

        Inclusive as poucas vendas que fiz, quiseram conhecer o sitio da minha familia. Porém o sitio não fica em local comercial.

        Obrigada pelas ideias! Esse é o caminho.

        Te sigo com o perfil das plantas no Afefé. As postagens são lindas, dá uma vontade de conhecer!! rsrs

        Ah sim, o perfil da venda de plantas é @cultiveplantasemudas .

        Beijos

    • Charlote da Silva

      Membro
      17/11/2021 às 22:53

      Oi Isis Carreiro, continua firme na missão ai? Achei muito bacana sua iniciativa, tenho um sonho antigo de ter uma floricultura, o comentário de Rose Afefé trouxe a luz muito do que sonho, um espaço físico onde tenha espaço para vários cultivos, de plantas, de amizades, de arte. Espero que esteja tudo Odara por ai, se puder nos falar os resultados, fico muito grata.

  • Fabiana Balduína

    Membro
    05/05/2021 às 16:36

    Meu projeto é a Drop Education, uma escola híbrida de dança Breaking.

    Estamos funcionando desde 05 de janeiro com 3 tipos de planos: For Fun, Mentoring e DropEd Pro. Conseguimos formas 2 turmas já no lançamento e também 4 mentorandes. Eu tinha o desejo de ter apenas 10 estudantes na escola, pois assim conseguiria acompanhar o desenvolvimento de cada ume mais de perto.

    Oferecemos os três planos, a seguir:
    FOR FUN – Para quem quer aprender, vivenciar e/ou conhecer o Breaking sem finalidade profissional, apenas “For Fun”.

    MENTORING – Para Bgirls/Bboys que buscam por aprimoramento técnico com finalidade profissional, competitiva e/ou como entretenimento saudável.

    DROPED PRO- Para quem busca por formação, capacitação ou qualificação em dança Breaking com finalidades profissionais e educacionais

    A turma For Fun e mentoria é um serviço que abrimos a cada 3 meses, já o plano DropEd Pro só a cada 6 meses, pois é um programa mais aprofundado de estudos da dança Breaking.

    Como uma escola híbrida nós teríamos (pois agora não sabemos como será os encontros presenciais com a pandemia ainda matando tanta gente) um encontro presencial em setembro para “batizado” des estudantes, seminários, confraternização, vivências e Cyphers (rodas de dança no Breaking).

  • Maya Tupinambá

    Membro
    06/05/2021 às 14:28

    Oi, gente!

    Meu projeto se chama MAHTUPI e está há quase 1 mês no mundo virtual. Nesse tempo tirei para experimentar as plataformas que conheço e tenho uma base técnica com intuito de visualizar o que realmente vale a pena no sentido de usabilidade, tempo, dedicação e bem-estar.

    Pois bem, o nome mudou nesse tempo seguindo bem os dizeres de Monique Evelle: “se tiver que mudar, mude com o carro andando”. E assim, fiz. Mahtupi é relacionado ao meu nome, ao que sou e sei, sendo assim, elencados em 3 pilares: ancestralidade, negócios e mídias sociais que formam o objetivo da mesma.

    E indo ao caminho contrário do imediatismo e do que “tem de fazer”, segundo gurus do marketing, a Mahtupi segue a linha slow content (conteúdo lento) por motivos de: priorizo a minha saúde mental e acredito na qualidade do que proponho. Tanto que nesse primeiro momento a categoria tá como criador de conteúdo – creator, mas em breve muda para empreendedor. E, essa mudança ocorrerá com a monetização do infoproduto que está sendo produzido, no entanto, o foco maior será em serviços de consultoria.

    É isso, por enquanto. 🏹

    • Monique Evelle

      Organizador
      06/05/2021 às 14:46

      Que massa! Tem algum link ou algo pra gente acompanhar?

    • Lara Forte

      Membro
      09/09/2021 às 09:33

      Maya, adorei seu projeto! Se quiser conversar sobre formas de proteger a propriedade intelectual envolvida no infoproduto e na sua marca, me chama!

    • Renata Juliotti

      Membro
      18/11/2021 às 15:52

      Adorei seu projeto Maya! Já quero conhecer mais!

  • Deane de Jesus

    Membro
    11/05/2021 às 00:41

    Oi, pessoal!

    Meu projeto é a clínica Mandacaru Psicologias e Saúde que tem como objetivo a oferta de cuidado a saúde mental de modo interdisciplinar e territorializado. A Mandacaru surge no meu cotidiano de trabalho como psicóloga clínica com a proposta de pensar as especificidades do cuidado mental diante os desafios inaugurados e/ou potencializados na pandemia do novo coronavírus.

    O nome Mandacaru surge de um fundamento da nossa prática clínica: produzir conexões entre o dentro e o fora, o externo e o interno, indivíduo e coletivo. Mandacaru também significa conexão com a terra de origem, de onde se é, de onde se vem. É palavra tupi-guarani. É palavra sertaneja e nordestina, é palavra interiorana. É palavra de origem, palavra do fora (fora da ordem normativa, do centro), é resistência e é também alimento. E são estes os fundamentos da nossa clínica.

    Nosso maior desafio hoje é financeiro. Sem um capital grande para investimento estamos materializando a Mandacaru por etapas. Neste momento estamos na etapa de formalização da empresa, com retirada de CNPJ, capacitação da equipe de prestadores de serviços (contamos com uma equipe de oito psicólog@s e uma terapeuta integrativa), e estamos buscando por potenciais parceires para serviços de desing gráfico e mídia social.

    Os próximos passos são a clínica na rua no mês de julho, com atendimento psicológico, acupuntura, reike e massagem terapêutica nas modalidades de atendimento presencial, on-line e domiciliar (Salvador e RMS). Nosso maior desafio é colocar o serviço na rua fazendo uso das redes sociais. Neste momento ainda não temos um espaço físico próprio mas esperamos que até 2023 consigamos ter uma estrutura que nos possibilite ampliar a equipe de profissionais e ter um espaço físico nosso.

    A Mandacaru é liderada por mim, Deane de Jesus, e mais dois psi’s pretos, Rodrigo Caldas e Yuri Batalha.

    • Aline Cerqueira

      Membro
      30/09/2021 às 17:44

      Ai que tudo Deane, entendi que é em Salvador, mas onde fica RMS?

  • Antonia Silva

    Membro
    24/06/2021 às 22:54

    Minha ideia é ter um negócio onde sua base seja de oportunidade não só preparatório mais também rentável. E que essa resgate pra além da auta estima com esses recursos o nisso conhecimento sobre nossa história, cultura e que possa ser usado pra um crescimento pessoal, profissional e comunitário.

    • Aline Cerqueira

      Membro
      08/10/2021 às 05:28

      Que massa Antônia. Já tem nome?

Page 1 of 7
Start of Discussion
0 de 0 respostas Junho de 2018
Agora